Autor

Cristina Santos Costa

Cristina Santos Costa

autor

Cristina Santos Costa gosta de fotografia e da magia de deixar guardado o momento. E depois dar-lhe nomes, ou contar histórias onde elas são também protagonistas, como se elas próprias tivessem uma vida.

LAZER,

O namoro

É quando o sol se põe e a passarada se solta dos ramos mais altos e vem debicar rente ao chão que os corpos se enchem de vida e o coração bate num enlevo de enamoramento. A lua rega-os de…

LAZER,

O meu senhor Henrique

Não sei dizer há quantos anos conheço o senhor Henrique o que não importa porque há pessoas que ficam no calendário das nossas vidas como se sempre lá tivessem estado. O Sr. Henrique é uma dessas pessoas. Entrou e instalou-se…

LAZER,

O vizinho Francisco

Aquela terra fica longe. Galgam-se quilómetros para lá chegar na esperança de que a estrada se encurte e o casario se abra ao longo do morro que aparece ao virar da curva larga. Ali todos se conhecem, são a família…

LAZER,

A vizinha Brígida

A vizinha Brígida vivia duas casas abaixo na mesma rua estreita entre muros onde quase ninguém passava. Saía de casa manhã cedo para cuidar das terras sem ajudas lá de casa que o homem já não podia das pernas e…

LAZER,

Momentos felizes

Ser turista deve ser a melhor profissão do mundo … se a pudéssemos escolher. A partida é sempre uma ansiedade, a mala pequena demais, o trânsito um embaraço porque há que chegar a tempo se a viagem exige companhia ……

LAZER,

A Mixórdias

Sou a Maria Adelaide Codinha, mais conhecida cá na terra pela Mixórdias! Foi assim que se apresentou e foi desenrolando conversa. É vendedora de peixe seco que amanha e estende ao sol com desembaraço e critério. Quem vai à faina…

LAZER,

Encontramo-nos por ali

Aquela calçada faz-se com jeito que as pedras de tão polidas quase espelham o céu de Lisboa. Naquela calçada existem dois mundos que crescem dentro de uma cidade que tem bairros como aldeias, janelas diante de outras janelas onde a…

LAZER,

A Maria

Eu não me lembro de quando comecei a gostar do colo desta mulher. A verdade é que eu não me lembro de mim nesse tempo mas trago tatuado cá dentro o colo redondo e macio, o ninho onde terei medrado…

LAZER,

O Troviscal

Era sempre em Setembro quando os meses de férias se eternizavam até à abertura do novo ano lectivo. E lá estava a turma reunida, sempre os mesmos na alegria dos reencontros. Vínhamos todos de longe que naquela altura as viagens…